Tópico 4: Ética e Ciência de Dados

De acordo com a Secção de Ciência de Dados da Royal Statistical Society (RSS) e o Institute and Faculty of Actuaries (IFoA), a ética na ciência de dados “e as implicações para as indústrias e o público em geral, estão em constante evolução. À medida que os métodos da ciência de dados se tornam mais comuns nos domínios estatístico e atuarial, existem oportunidades e desafios para os indivíduos que trabalham na ciência dos dados (“profissionais”)” (Institute and Faculty of Actuaries & Royal Statistical Society, 2019).

Canva Images

Como o impacto da ciência de dados na sociedade é essencial, os cientistas de dados devem encontrar resultados que possam beneficiar a sociedade, melhorando a qualidade da vida humana. É crucial que os cientistas sejam capazes de equilibrar os benefícios com as discrepâncias dos resultados que derivam dos dados.

A ciência de dados pode ser uma fonte de danos em termos de privacidade e igualdade. As considerações éticas devem centrar-se em encontrar formas de respeitar os limites e neutralizar os potenciais danos.

Um cientista de dados deve estar em condições de compreender plenamente “as fontes de erro e enviesamento dos dados, utilizando dados ‘limpos’ (por exemplo, editados para valores em falta, inconsistentes ou erróneos) e apoiando o trabalho com métodos estatísticos e algoritmos robustos que sejam adequados à pergunta que está a ser feita” (Institute and Faculty of Actuaries & Royal Statistical Society, 2019)

Se os princípios éticos dos cientistas foram questionáveis, o público pode perder a confiança, afetando a relação entre a ciência e a sociedade. A transparência é crucial para criar e manter a confiança.

A responsabilidade envolve uma análise cuidadosa de quando delegar a tomada de decisões em sistemas e não em seres humanos. É crucial compreender e comunicar as consequências de tal delegação, especialmente porque pode resultar na implementação de sistemas avançados de IA sem uma governação adequada (Institute and Faculty of Actuaries & Royal Statistical Society, 2019).